CEISE Br apresenta reivindicações da indústria para o RenovaBio em Brasília

Em junho no dia 13, o diretor do CEISE Br, Frederico Biagi Becker, participou da reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Açúcar e Álcool, na sede do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), em Brasília (DF).

 

Presidida por André Rocha e contando com a participação de Miguel Ivan Lacerda, diretor do Departamento de Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, a pauta tratou dos assuntos Agropensa Visão 2030 (Equipe da Inteligência e Relações Estratégicas da Embrapa); Monitoramento e as variações climáticas e seus impactos na agricultura e ao agronegócio (INMET); Cenários de oferta de etanol e demanda do Ciclo Otto (EPE); e Proposta de criação de um Fundo de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação para o setor sucroalcooleiro energético (FUNCANA).

 

Na oportunidade, Frederico Becker apresentou o tema O papel do BNDES no RenovaBio. A proposta, desenvolvida em parceria com Paulo Saraiva, consultor especialista em planejamento estratégico e operações junto ao BNDES, e CEO da PS7 Assessoria e Consultoria (associada ao CEISE Br), propõe quatro pilares: a criação de um Programa de Financiamento “BNDES RenovaBio”, com taxa de juros a 4,55% a.a., equiparando-se às atuais condições ofertadas pelo Fundo Clima (lançado em 06/06/2018); no Programa Fundo Clima, seria criado um subprograma Energias Renováveis, eliminando as existentes restrições aos projetos de biomassa de cana-de-açúcar; incorporar o processo de Certificação RenovaBio como requisito de enquadramento nestes programas de financiamento; além da apresentação de adesão ao Refis, o que permitiria a flexibilização das exigências para o acesso às linhas, por um período de cinco anos (em razão da crise setorial), como a dispensa da necessidade de apresentação da Certidão Negativa de Débitos Federais (unificada).

 

De acordo com Becker, o objetivo é “apoiar a renovação e implantação de canaviais, e o investimento em modernização e instalação de novos projetos dentro das unidades industriais e para novas plantas, visando atender ao consumo adicional de etanol que será gerado pelo mercado, devido à implantação do programa RenovaBio que, num cenário conservador, irá demandar uma produção de 14 bilhões de litros a mais do combustível, segundo fonte da EPE”.

 

Câmara Setorial (1)

Câmara Setorial (2)

Câmara Setorial (3)

Fred

Check Also

Festa de Confraternização da Copacesp foi realizada com sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *