COPACESP em busca de novas conquistas em Brasília

“A diretoria da COPACESP aguarda a manifestação do Carbamato de Etila de 210 ug/l, em aceitação publica para ser aprovado pelo MAPA”

DSC00022
“A COPACESP trabalha para que tenhamos um final feliz nesta jornada pois pensamos nas famílias brasileiras que sobrevivem deste produto que é tipicamente brasileiro – A Cachaça do Brasil”, ressalta o Diretor de Qualidade Antonio Baldinotti em Brasília

Com objetivo de participar das reuniões do IBRAC  e da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Cachaça, os representantes da COPACESP  sendo o Presidente, Antonio Olivaldo Rodrigues e do Diretor de Qualidade, Antonio Baldinotti estiveram nos dias 6 e 7 de maio em Brasília.

Estas reuniões marcaram um breve relato sobre o Workshop de Planejamento Estratégico da Cadeia da Cachaça; o reconhecimento da Cachaça na China e Panamá; sobre o andamento de temas tributários como substituição tributaria – IPI das Cooperativas; do retorno da Cachaça ao Simples; do tema do Projeto de Lei da Cachaça na Câmara dos Deputados e Senado, do Concurso Mundial de Bruxelas e finalmente, o principal assunto de grande interesse da COPACESP e de todos os cooperados a relevante aprovação do contaminante Carbamato de Etila.

De acordo com o presidente Antonio Olivaldo Rodrigues é de extrema importância, à aprovação do trabalho feito pelo professor Ian Nobrega da Universidade de Pernambuco, sobre avaliação do risco populacional de câncer no Brasil por exposição ao Carbamato de Etila em bebidas alcoólicas.

“Contamos com a colaboração de todos os cooperados da COPACESP, engarrafadores de Cachaça, donos de engenhos e sociedade civil para a manifestação da publicação da consulta pública que inclusive, já saiu no Diário Oficial da União no dia 15 de Maio. Assim que houver a aceitação publica pleiteando o Carbamato de Etila em 210 ug/l que equivale a 40% V/V, será passado em analise pela consultoria Jurídica do MAPA”, informa o presidente Antonio Olivaldo Rodrigues.

Agora a COPACESP encontra em um momento que irá registrar um fato histórico no mundo da Cachaça, pois com mais esta conquista sobre o Carbamato de Etila em passar pelo processo de consulta publica, o Brasil conseguirá bons resultados nos negócios que envolvem a cadeia produtiva da Cachaça que está reconhecida em  inúmeros países.

O Diretor de Qualidade Antonio Baldinotti ressalta a grande importância dos Cooperados da COPACESP em implementar a coluna de Destilação com “Gomo Retificador” e da manifestação sobre a aceitação publica  a respeito do limite proposto que deve ser de 210ug/l sobre o tema Carbamato de Etila.

“O compromisso que a COPACESP possui em termos de realizar um trabalho em busca de novas conquistas para os Cooperados e Engarrafadores é gratificante, pelo fato que sinto-me no papel de dever cumprido. Principalmente, sobre a defesa agropecuária em relação ao contaminante  Carbamato de Etila. Com um esforço motivacional para que os índices de 210 ug/l seja aprovado. Por isso, a manifestação das pessoas que envolve a cadeia produtiva da Cachaça neste momento é fundamental. A COPACESP trabalha para que tenhamos um final feliz nesta jornada, pois pensamos nas famílias brasileiras que sobrevivem deste produto que é tipicamente brasileiro – A Cachaça do Brasil”, finaliza Antonio Baldinotti que está há mais de 30 anos visando a qualidade da Cachaça que é reconhecida internacionalmente.

Mais informações, entre em contato com a COPACESP: 16 3943 9200, e saiba como manifestar sobre o Carbamato de Etila em ser votado o índice de 210ug/l.

Prezados Associados,

Informamos que foi publicado no Diário Oficial da União, em 15 de maio de 2014 (hoje), a Portaria da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento No. 62, de 14 de maio de 2014 (anexo) que submete à Consulta Pública, pelo prazo de 30 dias (a contar da data de publicação da Portaria), o Projeto de Instrução Normativa que altera o limite de carbamato de etila previsto na Instrução Normativa no.13, de 29 de junho de 2005.

Com a consulta pública, o MAPA propõe (documento anexo) a alteração do limite máximo do carbamato de etila de 150μg/l (cento e cinquenta microgramas por litro) para 210μg/l (duzentos e dez microgramas por litro).

A alteração do limite teve como fundamentação técnico-científica o resultado do Programa Nacional de Monitoramento da Qualidade da Cachaça e Aguardente de Cana (PNM-Cachaça) e o trabalho intitulado Avaliação do Risco Populacional de Câncer no Brasil por Exposição ao Carbamato de em Bebidas Alcoólicas, links abaixo:

– Programa Nacional de Monitoramento da Qualidade da Cachaça e Aguardente de Cana (PNM-Cachaça) http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/20140407%20-%20Resultado%20PNM-Cacha%C3%A7a.pdf

– Avaliação do Risco Populacional de Câncer no Brasil por Exposição ao Carbamato de em Bebidas Alcoólicas –http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/20140407%20-%20Avalia%C3%A7%C3%A3o%20de%20Risco.pdf

Além disso, a publicação da Consulta Pública é o resultado dos esforços da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Cachaça e de todos os envolvidos nos dois Workshops (2010 e 2013) sobre o tema, realizados em conjunto pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA)Ministério da Ciência Tecnologia e Invocação (MCTi)Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO),Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP), Associação Pernambucana de Produtores de Aguardente de Cana e Rapadura – APARInstituto Brasileiro da Cachaça – IBRAC.

DSC00036
COPACESP em plena reunião: O presidente Antonio Oliovaldo Rodrigues e Antonio Baldinotti em Brasilia – pautados em assuntos sobre a Cachaça no Brasil

 

DSC00038
A União dos Representantes das Entidades é fundamental para a cadeia produtiva da Cachaça – O Presidente do IBRAC, Vicente Bastos Ribeiro; Diretor de Qualidade da COPACESP, Antonio Baldinotti; Presidente Câmara Setorial da Cachaça, Margareth Cesar Rezende Pereira Lima e o Presidente da COPACESP, Antonio Oliovaldo Rodrigues.

Check Also

mini-alambique

Cresce o número de adeptos da destilação de bebidas em casa no Brasil

Brasil se inspira em outros países e cresce o número de adeptos da destilação de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *