II Simpósio Copacesp visa qualidade da cachaça

COOPERATIVISMO

Lena Aguilar

A Cooperativa dos Produtores de Cana, Aguardente, Açúcar e Álcool do Estado de São Paulo (COPACESP) promoveu nesta última sexta-feira, 26, no auditório da Copercana em Sertãozinho, o II Simpósio Copacesp que abordou sobre as boas praticas para fabricação de cachaça de qualidade. Visando a composição química e requisitos de qualidade, da cachaça e aguardente de cana para safra de 2013/2014.

Esta iniciativa é da diretoria executiva através dos donos de indústrias de cachaça: Antonio Olivaldo Rodrigues, Eduardo Tirolli e José Valdir Granelli junto a Cooperativa há mais de 30 anos.

A preocupação de ter uma cachaça de boa qualidade vem desde a sua fundação em 1970 quando foi iniciada a comercialização de cachaça pela COPACESP.

O coordenador Antonio Baldinotti disse que este evento vem proporcionar a melhor fabricação de cachaça priorizando a qualidade na composição química da cachaça e aguardente.

“Desde a implantação pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) da instrução normativa Nº 13 em 29 de junho de 2005 a vigorar em em 2010. A COPACESP passou a melhorar a qualidade da comercialização da cachaça, apostando na maneira de destilar, extraindo este contaminante no gomo retificador, através de drenos em pontos estratégicos onde se concentra o mesmo e conseguindo como mostra as analises feitas no ITEP, números abaixo do exigidos pelo Ministerio de Agricultura”, explica o coordenador Antonio Baldinotti.

Ele disse que com o passar dos anos a exigência dos engarrafadores vem aumentando e a COPACESP sempre se atualiza a produção para o mercado nacional e internacional uma cachaça com qualidade.

“Buscamos atender toda solicitação do MAPA. Além do padrão de identidade e qualidade de acordo com a Instrução Normativa de 29 de junho de 2005”, aponta o Coordenador.

O II Simpósio foi administrado pela Prof. Marcia Rossini Mutton – titular da cadeira de Tecnologia do Açúcar e do Álcool da UNESP de Jaboticabal que palestrou sobre Matéria Prima, Fermentação Alcoólica e Destilação.

“Esses três pontos: Matéria Prima, Fermentação Alcoólica e Destilação são importantíssimos  – Primeiro, é uma atualização do conhecimento relativo a produção da águardente de qualidade ; segundo, a utilização de tecnologia disponíveis que precisam ser utilizadas para produzir com qualidade e  terceiro, a reflexão sobre as boas praticas de fabricação e controle”, concluiu a palestrante Marcia Rossini Mutton.

Os produtores de Cachaça que prestigiaram o II Simpósio COPAGESP foram Antonio Tirolli da cidade de Palmital, Davi Módolo e Irmãos de Cerquilho, Destilaria Santa Clara de Jaboticabal, Indústria Aguardente Colosso de Lençóis Paulista, Indústria Aguardente Foltran de Leme, Usina Granelli de Charqueada, Indústria Aguardente Baptistella de Pirassununga, Destilaria Momesso de Mineiros do Tiete.

Quanto aos engarrafadores participaram: Companhia Muller de Bebidas 51, Indústria de Bebidas Paris, Indústria de Bebidas Pirassununga 21, Indústria Missiato de Bebidas, Missiato Indústria e Comercio, Campari do Brasil Ltda, Tatuzinho Velho Barreiro e Bebidas Confiança.

O Engenheiro Químico da Cia Muller, Marco Antonio Carlos, disse que como comprador o fator qualidade é fundamental.

“A participação em Simpósio vem trazer uma tecnologia para conseguir a qualidade que o produto necessita. Ainda mais, com o reconhecimento que a cachaça teve no mercado externo – primeiro a cachaça foi reconhecida como produto brasileiro na Colombia e recentemente nos Estados Unidos” aponta o Engenheiro Químico Marco Antonio.

De acordo com o Gerente de Qualidade da Indústria de Bebidas de Pirassununga, Roberto Tadeu Degli Esposti, a situação do mercado brasileiro de cachaça é grande por ser um produto continental.

“Um Simpósio como este, faz o aprimoramento da qualidade da cachaça no Brasil. Portanto a COPACESP é uma facilitadora, contribuiu na assistência aos produtores e garante a qualidade tanto para empresas de pequeno – médio e grande porte”, finaliza Roberto Tadeu da Indústria de Bebidas de Pirassununga.

Para o acompanhamento da qualidade a COPACESP conta com um laboratório equipado com Cromatógrafo convencional com detector FID, Cromatógrafo gasoso acoplado a um espectometro de massas para análise do Carbamato de Etila, absorção atômica para analises de cobre, chumbo e ferro. Densímetro digital para analises de grau e densidade, phmetro, condutivímetros, turbidímetros, evaporador rotativo para concentrar amostras e destilação fracionada para analises de açúcar e outros que compõem a montagem de um laboratório, mais moderno e atualizado para as analises e o acompanhamento físico – químicos e organolépticos da cachaça produzidos nas indústrias aguardenteiras.

Para o acompanhamento da qualidade a COPACESP conta com um laboratório equipado
Para o acompanhamento da qualidade a COPACESP conta com um laboratório equipado
O II Simpósio foi administrado pela Prof. Marcia Rossini Mutton – titular da cadeira de tecnologia do Açúcar e do Álcool  da UNESP de Jaboticabal que palestrou sobre Matéria Prima, Fermentação Alcoólica e Destilação.
O II Simpósio foi administrado pela Prof. Marcia Rossini Mutton – titular da cadeira de tecnologia do Açúcar e do Álcool da UNESP de Jaboticabal que palestrou sobre Matéria Prima, Fermentação Alcoólica e Destilação.
Em busca da qualidade da Cachaça – os diretores: Antonio Olivaldo Rodrigues, Antonio Baldinotti, José Valdir Granelli e Eduardo Tirolli juntos dos participantes Engenheiro Químico Marco Antonio Carlos da Cia. Muller e Roberto Tadeu Degli Esposti da Industria de Bebidas Pirassununga no II Simpósio COPACESP em Sertãozinho
Em busca da qualidade da Cachaça – os diretores: Antonio Olivaldo Rodrigues, Antonio Baldinotti, José Valdir Granelli e Eduardo Tirolli juntos dos participantes Engenheiro Químico Marco Antonio Carlos da Cia. Muller e Roberto Tadeu Degli Esposti da Industria de Bebidas Pirassununga no II Simpósio COPACESP em Sertãozinho

 

 

Check Also

Cachaca-51_Edicao2018_garrafa

CACHAÇA 51 MUDA TRADICIONAL RÓTULO PARA TORCER PELO BRASIL NA RÚSSIA

A Cachaça 51 é a principal brasileira entre os destilados mais vendidos no planeta (de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *